Orientação Médica

 

A prova conta com apoio de 04 equipes médicas que se deslocarão de moto ao longo do percurso com material médico para primeiros socorros, uma UTI Móvel para locomoção do piloto durante a prova, 02 equipes em carros 4×4 com, médicos e equipamentos para apoio de locomoção, ( Emergência 1 (02 Médicos ( 4×4) e 2 Socorristas UTI Móvel) e Equipe com 08 Motos (04 Médicos e 4 Mochileiros, primeiros socorros).

Orientações Médicas

Faça um check-up Médico para participar do ENDURO DA INDEPENDÊNCIA. Porém, pessoas de qualquer idade, mesmo atletas, possuem doenças silenciosas, quase sem sintomas. Geralmente são doenças cardiológicas. Muitas dessas pessoas desconhecem o problema que possuem às vezes graves. Portanto, procure um bom cardiologista e faça um bom check-up. Vale a pena também cuidados odontológicos antes do EI. Doenças Infectocontagiosas e Vacinas Cuidado com ferimentos (principalmente grandes e /ou sujos), água, comidas e exposição às áreas de muitos mosquitos (florestas, mato e proximidade de rios e lagos). Evite contato com água parada, como lagoas e poças, que podem transmitir doenças (Esquistossomose, por exemplo). Se molhar seus calçados, meias ou roupas com essa água procure se lavar e se trocar, logo que puder. Porém, o risco desse tipo de infecção no EI não é alto. Evite tomar qualquer vacina poucos dias antes da prova. O ideal é pelo menos 30 dias antes da largada do EI. Na história do EI não temos relatos de doenças graves. Este ano o risco de doenças tropicais como Febre Amarela não é alto, mas é importante a vacinação. Não passaremos em áreas importantes de Malária. Os cuidados com Dengue, Hepatite A e Tétano são os básicos, como em qualquer local do Brasil. Para o EI , enfatizamos a importância principalmente de vacinação contra Tétano, Febre Amarela e Hepatite A. Observações:

• Evite deitar ou andar em locais com grama alta ou mato (principalmente pastos), pela chance de contato com carrapatos (embora no Brasil não haja alta incidência de doença de Lyme, transmitida assim).

• As vacinas obrigatórias da infância são também essenciais. A vacina conhecida como Dupla Adulta (Difteria e Tétano), que todos se esquecem de tomar quando adultos, deve ser tomada, depois da infância, novamente aos 15 anos e depois, de 10 em 10 anos.

Vacinas para:

  • Tétano       ->    Postos de saúde e clínicas particulares
  • Tríplice     ->      Postos de saúde e clínicas particulares
  • Febre Amarela    ->     Postos de saúde.
  • Hepatite A   ->   Clínicas particulares
  • Malária    ->      Não há vacina
  • Dengue     ->    Não há vacina
  • Leishmaniose      ->    Não há vacina
  • Infecções gastro intestinais     ->     Não há vacina para a maioria

O problema dos mosquitos e a transmissão de doenças

• Normalmente o EI não passa em áreas de muitos mosquitos, mas evite o mato, principalmente fechado.

• Nos horários do nascer e pôr do Sol procure usar mangas e calças compridas e repelentes (há um novo repelente no mercado chamado Exposis, de eficiência maior que os tradicionais). Pode ser encontrado em boas lojas de camping e esportes de aventura.

• Evite acampar ou ficar próximo de rios ou depósitos de lixo.

• Você pode mandar preparar em farmácias de manipulação o seguinte: comprimidos de Vitamina B6 (Piridoxina) de 300 mg (não é simplesmente Complexo B como muitos pensam). Esse comprimido deve ser encomendado em farmácias de manipulação. Fica pronto em menos de 24 horas, não precisa de receita e não é caro. Comece a tomar 01 comprimido pela manhã e outro à tarde. Inicie cerca de cinco dias antes da prova e continue tomando durante toda a competição. Essa vitamina, nessa alta dose, atua como repelente contra mosquitos (essa ação obviamente não é 100 % eficaz) e é usada por pesquisadores em áreas de transmissão de doenças por mosquitos. Mande preparar pelo menos 30 comprimidos por pessoa (10 dias de prova mais 05 dias pré-prova).

• Outra boa opção, mais prática, é comprar em farmácias comuns, cápsulas de óleo de alho, e tomar 03 a 04 ao dia (pode ser em dose única), iniciando também 05 dias antes da prova. Não se preocupe: você não vai ficar cheirando alho. A ação é similar à da Vitamina B6.

•Para carrapatos sugerimos ivermectina comprimidos 6 mg 2 unidades 1 dia antes da prova.

Kit de Primeiros Socorros Não deixe de levar (é praticamente certo que vá usar)! A maior parte dele ficará com seu apoio.

• Analgésico

• Antiinflamatório

• Band-Aid ou similar

• Gaze, esparadrapo, antisséptico.

• Colírio

• Pastilhas ou spray para garganta (aqueles com combinações de Própolis, por ex.)

• Antidiarreicos

• Antiácidos

• E medicamentos que use habitualmente (prescritos pelo seu médico)

Atenção: será difícil encontrar boas farmácias em vários trechos do EI. A equipe médica tem um ótimo equipamento para atender situações mais graves, mas não suprirá pedidos básicos do comboio de mais de 1.400 pessoas do EI. Tenha o seu Kit (veja sugestões abaixo). Indicamos os produtos abaixo (e quantidades – que podem variar de acordo com o número de pessoas na equipe) para facilitar o entendimento e compra e não temos qualquer vínculo de marketing com as empresas responsáveis pelos mesmos. Os médicos da prova poderão orientar você quanto ao uso correto dos medicamentos.

Principais indicações (há similares e genéricos de ótima qualidade)

  • Dor / Febre    Tylenol ou Novalgina ou Advil     gotas ou 10 comprimidos
  • Antiinflamatório       Você pode usar qualquer um dos abaixo na dose de 01 comprimido ao dia
  • Voltaren Retard   ->    100 mg
  • Feldene    ->     20 mg
  • Tenoxen   ->     20 mg
  • Piroxene   ->  20 mg
  • Piroxican (genérico)      ->     20 mg
  • 10 comprimidos
  • Antiácidos ->     pastilhas de Rennie, Gelmax ou Milanta Plus (evite “sal de fruta”) 10 unidades
  • Náuseas / vômitos  -> Eucil, Plasil ou Plasil Enzimático
  • Evite Dramin, que dá muito sono
  • Agora há também uma excelente opção chamada Vonau (8 mg), em comprimidos, muito eficaz
  • 10 comprimidos
  • Reações Alérgicas  ->  Allegra 180, Claritin, (ou seu genérico, Loratadina)
  • Evite Polaramine ou Celestamine, que dão muito sono  10 comprimidos.
  • Curativo tipo Band-Aid ou similar       ->    Dica: há um Band–Aid novo chamado Aquablock Plus, impermeável e muito bom 30 unidades.
  • Garganta irritada   ->  Spray de Mel e Própolis (geralmente com mais alguns componentes, como Menta ou Guaco) ou pastilhas de Dequadin com Benzocaína, Benalet…
  • Garganta irritada é uma queixa muito comum no EI   1 frasco de spray ou 15 pastilhas
  • Gazes estéreis   ->    20 pacotes
  • Rolo médio de esparadrapo    ->    01 unidade
  • Antisséptico líquido    ->       clorexidine tópico ou água oxigenada 10 volumes     01 frasco pequeno
  • Antiespasmódico (cólicas)   ->     Buscopan ou Buscopan Composto gotas ou comprimidos   01 frasco ou 10 comprimidos
  • Antidiarreico Imosec
  • Atenção: procure orientação com os médicos da prova. Não tome se tiver cólicas fortes, sangue nas fezes, vômitos ou febre.
  • Colírio     ->       Lácrima, Lácrima Plus, Colírio da Teuto ou similar.
  • Irritação ocular também é comum no EI   ->  01 frasco
  • Descongestionantes nasais    ->     Naridrin, Sorine, Neosoro
  • Devem ser usado com moderação, só para melhorar a respiração·01 frasco.
  • Cotonetes (para “ciscos” nos olhos) -> 05 unidades
  • Pinça (para tirar espinhos)    ->      01 unidade
  • Agulha   (para tirar espinhos)     ->     01 unidade
  • Tesoura pequena   ->  01 unidade

Não esqueça os itens abaixo

  • Material para lentes de contato
  • Hidrosteril ou similar
  • (compra-se em farmácias, e é importante para melhorar a qualidade da água para beber)       01 frasco
  • Vaselina, Hipoglós ou similar.
  • Tem várias aplicações  ->     01 tubo
  • Protetor Solar Fator   ->   30
  • (dê preferência aos não oleosos)       ->     01 frasco
  • Protetor labial (solar)     ->     01 tubo
  • Repelente para insetos     ->   01 frasco

________________________________________________________________________________

O Resgate e Atendimento Médico

LEIA COM ATENÇÃO

1. Nos neutros ou nas cidades, você encontrará a equipe médica na emergência um (no acampamento principal). Durante as etapas da competição, para chamar a equipe médica, basta fazer a solicitação no 0800 da prova, descrevendo o ponto da planilha. Esse acionamento pode ser tanto pela pessoa ferida quanto por outros que passem imediatamente pelo local. Muitos dos acidentes são flagrados pelos médicos que supervisionam a prova. Esse chamado entrará na rede de rádio e será imediatamente recebido como prioridade;

2. O profissional da equipe médica mais próxima da situação será deslocado até o local, através de obtenção de Way-Points nos GPS, com chegada ao local no menor tempo que a situação permita;

3. A equipe médica se incumbe do primeiro atendimento e resgate. Quando necessário, haverá encaminhamento aos hospitais ou similares mais próximos. O atendimento imediato, dentro da prova, é isento de ônus em todas as emergências, desde que realizado exclusivamente com a equipe do EI e seu equipamento. Eventualmente (raramente) alguns medicamentos poderão ser indicados e o participante atendido deverá comprá-los em farmácias locais;

4. O EI terá 01 4X4 COM MEDICO E 01 AMBULÂNCIA UTI MÓVEL (EMERGÊNCIA um), que levaram uma pessoa com ferimentos importantes, do local do acidente até uma base médica do EI ou hospital mais próximo. A equipe médica do EI, nos hospitais locais, obviamente não pode determinar qual será o tratamento, interferindo nos protocolos e dinâmica de trabalho da instituição. Poderá, no entanto, opinar e auxiliar, otimizando a qualidade do atendimento, que muitas vezes poderá deixar a desejar. Sabidamente, o EI atravessará áreas com estrutura de saúde extremamente precária;

5. É extremamente importante que todos os pilotos e, se possível, seu apoio tenham convenio médico, pois na eventualidade de necessidade de transferência para hospital maior tenhamos mais facilidade para conseguir vaga.

6. Quando a vítima tiver lesões mais importantes, o transporte médico talvez tenha que levá-la para uma cidade fora do trajeto do EI, onde não costuma estar a equipe de apoio. Isso acontece raramente e a vítima é deixada aos cuidados do hospital local. Os médicos do EI não podem abandonar o evento para dar continuidade ao atendimento de participantes que devam permanecer em ambiente hospitalar, exceto em raríssimas situações, discutidas em conjunto com a organização. É lógico, no entanto, que os médicos do EI orientam adequadamente o hospital que receberá a vítima. Por isso é muito importante que o competidor esteja com sua ficha médica em ordem! Nessas situações, a equipe do participante ferido deve ir até esse hospital para oferecer o apoio.

7. A equipe médica do EI dispõe de equipamento para atender as principais situações emergenciais, obviamente diferentes do que oferece uma estrutura hospitalar. No entanto, quando for necessário o atendimento por parte de um hospital ou similar ao longo do EI, a responsabilidade financeira passa a ser exclusivamente do participante envolvido. Por isso é fundamental que o competidor tenha sempre consigo (e não com seu apoio) os documentos de seu seguro-saúde ou convênio médico, cheque e/ou cartão de crédito;

8. Podem surgir situações em que o acidentado deva ser transferido para um hospital melhor equipado, localizado, por exemplo, em grandes capitais. Esse transporte pode ser de vários quilômetros. Será feito provavelmente por transporte médico que não pertence ao EI ou à equipe médica do mesmo. O custo desse transporte (muito caro), que leva o participante do EI para um hospital distante, não é de responsabilidade da organização da prova nem da equipe médica do mesmo, mas sim do participante. Esse serviço depende do convênio médico do competidor;

9. Atenção: os convênios provavelmente não deslocarão um avião UTI, por milhares de quilômetros, para levar o acidentado para uma cidade com boa estrutura médica, quando a situação for simples, por exemplo, uma fratura não grave, um pequeno ferimento ou uma lesão que permita viagem em linhas comerciais normais. Normalmente os contratos dos convênios determinam que o resgate por UTI aérea seja oferecido ao segurado em casos onde o acidentado deva ser levado para um hospital bem equipado, em vista de lesões graves, com risco iminente de vida, órgão ou função orgânica – principalmente quando estiver num local onde os recursos médicos são precários. Os seguros-saúde ou convênios médicos geralmente levam o acidentado para uma cidade onde há melhor estrutura médica. Tal cidade nem sempre é aquela onde mora o segurado, mas sim a capital do estado onde houve o acidente. Cheque detalhes nas cláusulas de seu convênio médico ou plano de resgate médico.

O Convênio Médico (veja no regulamento as características obrigatórias) Atenção para a contratação de convênios ou seguros médicos (verifique o contrato!).

Cheque principalmente o seguinte:

• Se atende o regulamento da prova;

• O período de carência para a data do EI;

• Se atende vítimas de acidentes em esporte de risco voluntário como o EI. De forma geral, os convênios médicos não cobrem algumas situações. Uma delas é ESPORTE DE RISCO (subentenda-se: paraquedismo, motociclismo, automobilismo, alpinismo, asa delta, paragliding, etc.). Assim, é importante checar as cláusulas do convênio, pertinentes a isso;

• Se oferece transporte aero-médico (avião UTI) de qualquer local do país (hospital ou similar) para a cidade do acidentado e hospital de preferência, a qualquer hora e dia. Ou se apenas leva a vítima para uma cidade próxima do acidente, que tenha melhor estrutura médica;

• Se cobre qualquer tipo de lesão decorrente do EI;

• Se oferece cobertura cirúrgica, internação prolongada em UTI, próteses, etc.

• E se cobre atendimento em qualquer hospital ao longo do EI!

Dicas Importantes

1. Deixe tudo pronto no dia anterior, planilha, regulagem da moto, abastecimento, etc.

2. Descanse e durma o melhor possível. As distâncias são longas e o desgaste físico é acumulativo ao longo dos dias. Vários pilotos já “cochilaram” durante a pilotagem, principalmente de moto, algumas vezes com acidentes importantes;

3. Respeite seus limites e habilidades! A maioria dos acidentes graves foi com pilotos experientes. Muitos deles, feridos gravemente no EI, confessaram que seus acidentes ocorreram por confiança excessiva e imprudência!

4. Se após uma queda ou colisão, por exemplo, você tiver dor forte na cabeça, pescoço, tórax, abdômen ou bacia, não insista em continuar pilotando. Chame imediatamente o resgate, pois pode haver uma lesão grave em progressão;

5. Principalmente para os fotógrafos: evitem ficar em saídas de curvas ou locais de exposição perigosa. Lembre-se que há muitas derrapagens nesses locais;

6. Nos últimos EIS houve inúmeros quedas e colisões sérias. Muitos deles envolveram carros de apoio ou com pessoal de imprensa! Esses carros e pessoas não estão devidamente preparados para tais acidentes (não têm “Santo Antônio”, capacetes, bancos e cintos especiais, etc.)! Assim, não deixe que o seu motorista exceda os limites de segurança, se empolgando com a corrida. Alerte-o energicamente e se necessário, avise imediatamente alguém da organização, para providências pertinentes;

7. Já houve gravíssimos acidentes com competidores e não competidores por não usarem o cinto de segurança;

8. Respeite mesmo a natureza!

9. Respeite a população local. Suas propriedades, seus costumes e principalmente sua curiosidade e privacidade! Lembre-se: nós somos os intrusos!

Baixar versão para impressão (PDF)